Dicas úteis

MALAS DE PORÃO E DE CABINE

Nas companhias aéreas low-cost como Easyjet, o tamanho da bagagem de mão é 50x40x20 e SÓ se pode levar uma peça, não sendo permitido levar uma segunda mala, e a mala não pode ultrapassar os 10kg. Quanto à Ryanair, já é permitido levar duas peças de mão, desde que a segunda não ultrapasse o tamanho de uma mala de senhora pequena.
Quanto aos conteúdos, pode-se levar repelente, líquidos (não inflamáveis, o repelente é o único) de 100ml no máximo e no seu conjunto apenas 1l de líquidos em 10 frascos de 100ml (ou menos).

Quanto às malas de porão, depende da companhia aérea, já que as low-cost cobram pela bagagem de porão, enquanto que outras não. É permitido líquidos, tesouras, tudo o que não é permitido na bagagem de mão. O peso desta bagagem varia entre os 21 – 23kg.

Aconselho, por experiência própria, a colocar na bagagem de mão computadores, cabos, máquinas fotográficas, documentos importantes, comprimidos, porque pode acontecer a mala de porão ficar perdida. Atenção, nem todas as companhias dão kits de viagem quando se perde a mala de porão, por isso, prevenir é o ideal, pelo que é aconselhável a colocar na mala de porão os objectos mais importantes e os menos importantes na mala de porão. Apesar de saber que é desconfortável andar com uma mala pesada, acaba por compensar caso fique perdida.

No Aeroporto de Lisboa e em tantos outros aeroportos, existem empresas que por 8€ (a Safe Bag, no Aeroporto de Lisboa) revestem a mala de porão com uma fita aderente e dão um código à bagagem para ser mais fácil identificar a mala quando perdida.

SEGUROS DE VIAGEM

Quanto a este assunto, na minha opinião, é vantajoso fazer estes seguros quando se trata de viagens internacionais, por vários motivos, como cancelamento ou atraso do voo, impossibilidade justificada de embarcar (vistos, doenças, mortes, etc). Pode-se fazer seguros de viagem nos bancos – normalmente faço-os no meu banco -, que incluem custos imprevisíveis de saúde também. A WorldNomads para mim é a mais fiável companhia para fazer seguros. Aplica-se a todos os casos!

Os seguros para viagens dentro da Europa podem ser úteis ainda assim, apesar de nunca ter feito nenhum, nem durante os cinco meses em que vivi em Itália!
Para residentes na UE, basta ter o Cartão de Saúde Europeu para beneficiar dos serviços de saúde.

VISTOS

Para viajar dentro da UE, não é necessário visto, nem passaporte, basta apenas o cartão de cidadão.
Quanto a destinos internacionais, dependendo da companhia aérea, prestar atenção à duração dos vistos. Os cidadãos portugueses não precisam de visto para entrar na Tailândia (até 30 dias de permanência), mas no Camboja sim. Não existe a Embaixada do Camboja em Portugal, nem a Embaixada de Portugal no Camboja , então para evitar riscos, contactar a Embaixada do Camboja em Paris via e-mail ou telefone para pedir uma confirmação por escrito de que é possível  prolongar o visto no Camboja para estadias superiores a 30 dias. Como não há embaixada, existe o e-visa, um visto electrónico, por um custo de 28 dólares. Para outros destinos, se houver embaixada, contacta-la para informações.

COMPRAR VIAGENS

Por experiência própria, não aconselho comprar viagens internacionais através de sites de viagens (momondo, lastminute, skyscanner…), mesmo que o preço seja apelativo. Aconselho comprar à própria companhia aérea (pela internet também é possível) ou a agências de viagens pela segurança e pela facilidade em resolver qualquer situação que surja. Atenção às companhias aéreas que não operam em Portugal directamente; pode ser um grande problema contactá-las, especialmente se tiverem a sede fora da Europa. Para além do custo elevado, conseguir marcar o número certo é um desafio. Verificar sempre todas as companhia aéreas, no caso de comprar directamente à companhia, através da agência é mais fácil.

VACINAS

Sei que alguns países exigem um comprovativo da vacinação contra as doenças naquele país. A Arábia Saudita impõe o comprovativo contra a doença meningocócica aos peregrinos que se dirigirem a Meca, e também a vacina contra a poliomielite de quem vem da Índia, Paquistão, Afeganistão e Nigéria.
Em África são necessárias as vacinas contra a Hepatite A, Hepatite B e Febre Tifóide. As vacinas contra a Poliomielite, a Raiva e a Cólera são indicadas a casos mais específicos.
Na Ásia as vacinas contra a Hepatite A e B, Febre Tifóide e Encefalite Japonesa. Contra a Raiva também poderá ser indicada.
Na América do Sul e Central as vacinas contra a Hepatite A e B, Febre Tifóide, e a Raiva.
Na Índia as vacinas contra a Hepatite A e B, Febre Tifóide, Poliomielite, Encefalite Japonesa, e a Raiva.

A Consulta do Viajante esclarece todas estas dúvidas e deve ser agendada pelo menos um mês antes da viagem.

Esta informação, disponibilizada pela Farmácia Duque D’Ávila, é bastante útil para nós, viajantes.

10612705_702909023092317_1718891512836887384_n

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s